Cubismo: o ismo no espaço francês


Cubismo militante; Cubismo vs. Futurismo;


Parte 4.

paradigmas

  • cubismo militante arrebentou em 1910 e vai estar nos Salões de Outono e dos Independentes.

São nomes que tinham visitado o ateliê do Picasso e iam vendo o que esta dupla andava a fazer. Portanto, são nomes que começam a experimentar e a sintetizar o cubismo sem conhecer a fundo (apesar de terem a consciência da construção teórica da quarta dimensão (Metzinger com os primeiros estudos sobre o cubismo).

Inicialmente enquadram-se mais na fase cezanniana e daquela frase (um pouco redutora) de que a pintura trata-se de cilindro, da esfera e do cone. Trata-se de uma esquematização, uma cubificação das coisas. Estavam longe da fase analítica e hermética.

Portanto, cubismo vai nascer não partir dos seus fundadores, Braque e Picasso, mas destes nomes que andavam um pouco a sintetizar. Picasso curiosamente está muito retirado da dimensão pública e parecia estar fora do jogo da aventura cubista. O nome cubismo surge nas suas exposições, a partir da observação de Matissepetits cubes” junto a Vauxcelles (=fauves) que publica nos jornais. 


ALGUNS NOMES:

 Albert Gleizes e o Metzinger (pintores e teóricos);

 Delaunay desenvolve a questão do cubismo órfico (Apollinaire), em que a fragmentação o leva aos famosos discos órficos (Formas circulares, Sol e Lua) e chega a aproximar-se do abstrato pela perda do referente. Depois regressa à figuração (Portugaise);

 Léger desenvolve um cubismo robótico de volumes essenciais. Depois as suas constelações ganham autonomia e surge o cubo-futurismo (vanguardas russas). Tem algumas ligações à Pop-art (A Cidade,1919).


figuras importantes

 As memórias escritas de Apollinaire ajudam a entender muito deste tempo e especialmente o acompanhamento de Picasso e Braque, até porque nesta altura estão muito retirado.

 Cocteau vai ser um grande admirador e amigo de Picasso, para além de ser poeta, músico e pintor também. Vai ser importante para a valorização de Picasso, juntamente os escritos de Apollinaire.


Situação Plástica - Cinema

Há quem fale do cubismo no cinema por causa da questão da montagem cinematográfica, embora isso comece até a ser explorado depois do cubismo. (O cinema tem apenas 2-3 anos quando começaram a tal primeira confeção pública dos irmãos Lumiére). Isto é, filmo vários enquadramentos do mesmo espaço e faço por montagem uma sequência temporal e nesse sentido há uma justaposição temporal na lógica do cinema.

Mas isso não é o mesmo problema que está no cerne do cubismo: não há justaposição, há sobreposição. Ou seja, na montagem vemos uma perspetiva durante uns segundos e depois outra durante outros segundos - aqui muda o tempo. No cubismo, vemos várias perspetivas numa só duração de tempo.


Situação Plástica - Escultura


O cubismo, apesar de ser uma questão pictórica, vai depois marcar as vanguardas escultóricas - temos como exemplo Henri Laurens.


Temos também o Picasso escultor, em Copo de Absinto sente-se um pouco os planos do cubismo sintético, enrolados e devolvidos parcialmente.


Na Cabeça De Touro ainda não é um readymade. Apesar de ser uma obra dos anos 40, Picasso aqui pega em objetos já feitos e fragmenta-os.



cubismo vs. futurismo


Apesar de existir pintura cubista desde 1907, quando o cubismo aparece em 1910 como ismo, já era um pouco para separar e reagir ao futurismo que nasceu depois mas que apareceu primeiro no espaço francês em 1909. 

(=) O futurismo vai buscar coisas ao cubismo.
(≠) Mas o futurismo e o cubismo vão concorrer furiosamente em 1910 pelo protagonismo artístico no espaço francês.

(=) No futurismo vemos também uma questão do tempo.
(≠) Mas o tempo do futurismo é a velocidade dos motivos: do tempo dos motivos, e não o tempo do olhar.

(=) No futurismo também existe um sentido de fusão-figura-espaço.
(≠) Mas a utilização do futurismo é a vontade de fundir espectador e mundo pictórico. (Boccioni)

GRANDE DIFERENÇA:
(≠) O cubismo nasce da pintura e é um problema da representação do pintor. (=impressionismo e fauvismo)
(≠) O futurismo nasce do manifesto e vai abranger todas as áreas, é neste sentido um projeto épico de vanguarda.







Complementos: